Os bancos de dados não relacionais tem crescido cada vez mais e por isso é preciso falar mais sobre o MongoDB. Trata-se de uma nova ideia referente a trazer sempre novos conceitos relacionados aos documentos. É preciso citar que atualmente o uso desse tipo de banco é eficiente, porque trará mais agilidade.

O artigo irá mostrar vários pontos e terá uma abordagem que é endereçada a todos os tipos de pessoas. É adequado citar que a ideia é fazer com que o processo vá de alguém iniciante até os que já conhecem. Esse fato será um diferencial importante, pois permitirá a todos conseguir fazer uma boa utilização.

O MongoDB é algo importante e trará sempre vantagens, desvantagens e no fim a utilização dependerá de cada um. Dessa forma, torna-se adequado mostrar todos os fatos e os próximos tópicos serão bem interessantes. Lembre-se: esses bancos vão servir a alguns casos, portanto, não ache que funcionará para todos.

O que é o banco de dados MongoDB?

O MongoDB é um banco de dados orientado direcionado a Documentos, ou seja, utilizam um conceito diferente. O conceito de dados e documentos autocontidos ou autodescritivos, ou seja, implica algo primordial.

Trata-se de a definição ser apresentado e o significado desses dados serão armazenados na sua estrutura. A sua característica principal é muito simples e saberá conter as informações mais importantes em um mesmo documento. Sendo também totalmente livre de esquemas, ou seja, é muito mais fácil.

É possível possuir muitos indicadores únicos universais (UUID), portanto, vai possibilitar a consulta desses documentos por meio dos métodos avançados. Tudo referente ao agrupamento e filtragem, sendo essa grande vantagem.

Esses bancos de dados são chamados de Bancos NoSQL (Not Only SQL) e o MongoDB está incluído nisso. Esse termo NoSQL é referente a ausência do SQL, porém esse Banco de Dados não irá se limitar a só isso. Devido a esse fato, o termo correto não é mais esse para esse novo Banco de Dados.

O mesmo ainda continua sendo aceite e se popularizou dentro da comunidade. Alguns chegaram a defender outros tipos de nomenclaturas, porém a mais aceita foi justamente essa, ou seja, NoSQL.

Uma diferença primordial entre esses dois modelos irá surgir quando for necessário criar relacionamentos. Sempre relacionado diretamente aos bancos de dados relacionais, o que é diferente dos bancos orientados a documentos. Já que fornecerão documentos entre eles, mantendo os esquemas sem design.

Sendo assim, os dados relacionados em uma área de armazenamento separado não vão armazenar os dados. Esses bancos de documentos vão integrar os dados ao próprio documento, portanto, essa informação é importante.

Os dados armazenados ainda podem ser armazenados, porém devem ser relacionados de forma separada. Para conseguir é preciso utilizar a coleção separada, porém é adequado ter cuidado, pois o desempenho pode ser perdido.

Características do MongoDB

Conforme mostrado anteriormente, o MongoDB é um banco de dados que terá a sua orientação para os documentos. Dessa forma, é algo muito diferente dos Bancos de Dados tradicionais, portanto, os que seguem um modelo comum. Trata do relacional, sendo algo um pouco limitado para alguns casos.

A informação mostrada no paragrafo anterior mostra diretamente uma diferença entre os dois modelos. Onde o banco orientado aos documentos irá lidar com documentos e não com os registros, semelhante ao modelo relacional.

Já que lá tudo é representado sempre utilizando uma abordagem que é conhecida como bidimensional. Trata-se das tabelas representadas por meio das linhas e também a coluna, ou seja, o MongoDB entra nisso. Confira a seguir as principais características desse modelo que é tão conhecido por todos, veja:

  • Esse banco de Dados terá como característica ser um código-fonte que aberto e licenciado pela Afferro General Public License (AGPL);
  • O mesmo possui uma alta performance e não deve possuir alta performance.
  • Não ter esquemas;
  • É preciso ser escrito em C++;
  • É uma multiplataforma e é formado por aplicativos JSON.

Vão existir também algumas linguagens ou mesmo plataformas, possuindo diversos drivers para o MongoDB. Confira a seguir algumas que conseguem se destacar perante as demais, veja a seguir:

  • Scala;
  • Ruby;
  • Python;
  • PHP;
  • Perl;
  • JavaScript;
  • Java;
  • Haskell;
  • C++;
  • C;
  • C#.

O MongoDB irá possuir alguns binários para diversos tipos de plataformas como por exemplo: Solaris, OS X, MAC e Windows. Isso vai permitir que vários tipos de pessoas possam utilizar, pois são os sistemas mais comuns.

Exemplos de empresas que utilizam

Muitas empresas fazem a utilização do MongoDB e citar a todos é importante, porque permite que exista uma maior utilização. Pensando nesses pontos, é primordial mostrar algumas empresas que fazem o uso, veja abaixo:

  • SourceForge;
  • SAP;
  • Pearson Education;
  • MTV;
  • MailBox;
  • LinkedIn;
  • com;

Para conseguir conhecer a todos os serviços e as empresas que usam as ferramentas do MongoDB, basta clicar nesse link. O site mostra uma lista completa e fica simples de ter alguns casos de empresas de sucesso.

Por que utilizar

É notório que que os dados podem ser guardados em tabelas formatadas e poderá usar uma linguagem de consulta estruturada (SQL). Isso terá relação direta com os bancos de dados.

O RDBMS terá um esquema que é pré-definido e terá a sua base nos requisitos. Mantendo um conjunto de regras e que irá fazer uma definição das relações existentes entre todos os campos e também as tabelas.

Só que o MongoDB irá guardar os dados em documentos ao invés das famosas tabelas, sendo possíveis alterar os registros. Especialmente a estrutura, o que nessa plataforma é conhecida também como documentos.

Para fazer isso basta ir adicionando novos campos ou deletando aqueles que forem existentes. Essa capacidade do MongoDB é bem usual e fará com que as relações hierárquicas possam ser representadas com todo o sucesso.

O armazenamento de matrizes e outras estruturas que forem mais complexas, vão poder ter o tratamento mais simples. O MongoDB irá oferecer diretamente um desempenho e também uma disponibilidade que é muito alta. A escalabilidade com os serviços de replicaset e sharding, é uma vantagem.

Como fazer a utilização

O MongoDB teve a sua criação com o Big Data “no catilho”, ou seja, vai permitir um escalonamento horizontal e também vertical. Tudo isso é devido a utilização do replicasets e sharding, o que fará ser uma opção interessante. Servindo para os volumes de dados e também auxiliando a todos os desestruturados.

É notório que os dados desestruturados são um grande problema para toda a imensa maioria dos bancos relacionais. Só que não para o MongoDB, pois o seu schema pode vir a ser variável e livre ao mesmo tempo.

Os documentos BSON do Mongo são conhecidos como schemaless e vão aceitar qualquer tipo de coisa. Sempre respeitando a vontade de quem quiser armazenar, podendo ser um mecanismo de persistência que é perfeito.

A utilização é perfeita para as tecnologias que vão trabalhar diretamente com o JSON. Esses cenários são altamente recomendados e atualmente são mais utilizados nos catálogos dos produtos de e-commerce. Esses detalhes são complicados de serem feitos e a razão é a grande diversidade de informações.

Isso terá relação com os milhares de variações que são características entre esses produtos. O impacto maior virá nas muitas tabelas que normalmente é aplicado sobre o modelo relacional, com o MongoDB tudo é muito diferente.

Além desse formato de documentos pode ser ter um intercambio interessante com o JSON. A operação é todo referente a maneira assíncrona, permitindo ter uma persistência que é extremamente veloz e pode ser alada a uma plataforma. É bom citar que os bancos relacionais o uso do Node.js pode ser utilizado.

Para o desenvolvedor o MongoDB faz com que a criação de uma stack completa possa ser utilizada apenas utilizando o JS, já que o JS estará do outro lado. Isso permite que as queries possam ser criadas utilizando o JS, ou seja, é vantajoso.

Quando não é uma boa fazer a utilização

A utilização da ferramenta foi mostrada anteriormente, porém vão existir alguns pontos que são bem interessantes. Já que o mesmo não resolve a todos os problemas, é adequado mostrar quando a utilização pode ser feita. Veja naquilo que o MongoDB poderá vir a não ser uma boa alternativa para você, veja:

  • É preciso não utilizar quando os relacionados forem entre muitas entidades de grande importância para o sistema;
  • Já se a utilização de várias “chaves estrangeiras” e “JOINs”, não é adequado utilizar dessa forma;
  • As entidades de pagamento não vão homologar os dados financeiros que não estiverem em bancos de dados relacionais tradicionais;
  • Os sistemas financeiros vão precisar de cuidado, portanto, o uso do MongoDB nesse caso deve ser feito sempre com muito cuidade.

Esses 4 pontos mostrados acima mostram a todos algo que é primordial e merece muita atenção por parte das pessoas. Trata-se de analisar se a utilização do Mongo será benéfica ou não, ou seja, esteja atento. É adequado analisar, pois no final é justamente essa analise que terá te permitido usar a melhor opção.

Quais são as vantagens e desvantagens do MongoDB?

Até agora ficou simples de perceber que o MongoDB é sempre uma opção muito interessante para grande parte das empresas. Só que do outro lado, também teve um momento em que essa utilização precisou ser feita com atenção. Restou apenas fazer uma comparação para saber quando será uma boa ou mesmo não.

Foi pensando nisso, que o tópico final trata sobre as vantagens e também desvantagens. Ambas serão explicadas de forma detalhada, sempre mantendo cuidado e principalmente sendo sucinto em cada uma. Dessa forma, confira a seguir as vantagens e desvantagens do MongoDB, veja tudo isso abaixo:

Vantagens

A partir do momento em que as vantagens forem citadas, tudo ficará mais simples e a decisão pode ser feita. Confira a seguir quais são os benefícios do MongoDB:

  • Utilizando MongoDB temos uma melhor performance, visto que uma única consulta retorna tudo o que precisamos saber sobre o documento.
  • Os bancos de dados NoSQL vão apresentar sempre muitas vantagens sobre os outros quando o assunto for necessidade. Trará assim a escalabilidade, flexibilidade e também o desempenho e uma facilidade para as consultas.
  • As consultas são simples de serem feitas, porém quando não existirem as transações e também joins.
  • O escalonamento com sharding ficará horizontal, portanto, permite dividir os dados entre vários tipos de máquinas.
  • Permitirá assim que o rendimento fique melhor e a capacidade do disco acompanhe esse movimento essencial.
  • O mongo irá disponibilizar essa opção, podendo trazer um melhor armazenamento e também desempenho. Para saber mais sobre a documentação, basta acessar o site oficial por esse link.
  • Os bancos de dados relacionais são mais usados como o MySQL não vão suportar esse tipo de solução. Para conseguir isso é preciso fazer uma manipulação com os dados, sempre em cima da base de dados, sendo bem trabalhoso de ser feito.
  • Por meio dessa linguagem de consulta ser SQL é muito mais simples de vir a ser convertida para o MongoDB. Permitindo assim uma facilidade que é muito maior para fazer a migração das organizações que estiverem fazendo o uso dos dados relacionais.
  • O mesmo vai possuir um tipo de função que é conhecida como GridFS, sendo a responsável por armazenar os arquivos de grande dimensão.
  • Por fim, o MongoDB também possui a funcionalidade chamada GridFS que é responsável por armazenar arquivos de grandes dimensões. Por exemplo: vídeos, animações e até mesmo fotos muito grandes.

Desvantagens

O MongoDB traz alguns pontos que vão merecer um pouco de atenção, portanto, é preciso estar atento. Dessa forma, confira abaixo quais são as desvantagens para esse tipo de utilização, veja abaixo:

  • Quando existir a necessidade de alterar os registros ligados a uma unidade semântica, sendo preciso tratar um por mês;
  • Grandes empresas utilizam, porque trata-se de uma abordagem que consegue ser completa, porém, o valor é mais elevado.
  • O tempo de adaptação pode vir a ser um pouco grande, ou seja, essa é uma dificuldade muito comum a isso.

Essas três desvantagens mostradas acima evidenciam que comparadas as vantagens, podem ser algo pequenos. Só que quando mexe com dinheiro ou a adaptação da equipe, torna-se primordial ter um cuidado referente a isso.