As mulheres na tecnologia estão ganhando cada vez mais espaço no setor de tecnologia. Uma pesquisa realizada no ano passado pelo LinkedIn mostra que, entre 2008 e 2016, o número de mulheres que ocupam cargos de liderança no setor de tecnologia aumentou 18%. Ainda assim, o setor se encontra desigual, e encontramos a presença dos homens na área com mais facilidade, do que mulheres. Dados da ONU Mulheres Brasil, revelam que as mulheres estão fora dos principais postos de trabalho gerados pela revolução digital, sendo que somente 18% delas têm graduação em Ciências da Computação e são, atualmente, apenas 25% da força de trabalho da indústria digital.

A resposta contra isso veio das próprias mulheres, que criaram programas para incentivar as meninas e mulheres no mundo da tecnologia. Conheça algumas dessas iniciativas:

1. InfoPreta – é uma empresa que presta serviços tecnológicos como manutenção de computadores, suporte técnico, backup e formatação, higienização, desenvolvimento de sites e aplicativos, consultoria sobre tecnologia e inovação, entre outras atividades. Aqui todo o trabalho é feito por mulheres, principalmente negras, e participantes de minorias, e este é o diferencial da empresa. Foi fundada em 2015 por Buh D’ Angelo, uma mulher negra e de classe social baixa, desde então a empresa já apresentou projetos para Microsoft Brasil, Campus Party e foi classificada para representar o Brasil no G20 em Berlim.

2. Women Up Games – é uma organização criada pela Ariane Parra e possui o intuito de promover a inclusão de mulheres no mundo dos games por meio de palestras, eventos corporativos, campeonatos femininos e eventos de desenvolvimento de games.

3. PyLadies – é um grupo internacional e tem o objetivo de atrair mulheres para a área de TI através da linguagem de programação Python. A organização conta com 23 representantes em diversas cidades brasileiras que ministram cursos gratuitos de Python desde o básico até conteúdo mais avançado. A procura pelos cursos é tão grande que alguns acabam se esgotam em menos de 10 minutos. Segundo os dados do grupo PyLadies São Paulo, o recorde foram 40 vagas em 9 minutos.

4.Minas Programam – este projeto foi fundado por Ariane Cor, Bárbara Paes e Fernanda Balbino, e possui o intuito de oferecer cursos de programação para mulheres e que também são ministrados por mulheres. O grupo defende que a tecnologia é usada em todos os setores da vida e que, por isso, esse deve ser um ambiente plural para garantir soluções democráticas.

5. PrograMaria – muitas das iniciativas de programação para mulheres surgiram porque as próprias mulheres sentiam dificuldades de ingressar na área. Foi assim que surgiu o PrograMaria, que realiza oficinas, eventos e cursos de formação técnica para mulheres que desejam iniciar no mundo da programação. Desde sua criação, o projeto já realizou mais de dez oficinas e três edições do Curso Eu Programo, que formou 90 mulheres, e um Summit, que reuniu mais de 130 mulheres para debater o lugar das mulheres na tecnologia.

Essas são algumas, das inúmeras iniciativas que existem atualmente para incentivar as mulheres na tecnologia. Se você tem interesse sobre o assunto e quer saber mais sobre, pode entrar em contato conosco! E por fim, a Mundo Devops deseja um feliz dia das mulheres, que vocês possam estar cada vez mais inseridas no mundo da tecnologia, sendo respeitadas e tratadas como iguais!