Palavra Chave-  ferramentas de infraestrutura como código

Tags: programação

Ferramentas de infraestrutura como código – Ansible, puppet, vagrant

Algumas ferramentas de infraestrutura como código vão permitir que os resultados possam ser os melhores possíveis. É necessário sempre estar atento a tudo, porque a chance de vir a funcionar será sempre muito maior. O mais importante é aderir a tecnologia e principalmente conseguir ter um diferencial.

A postagem irá mostrar primeiramente do que se trata e em seguida as ferramentas de infraestrutura como código. Sem esquecer de mencionar as três principais, ou seja, aquelas que vão fazer diferença de forma positiva. É primordial estar atento a tudo, porque o objetivo é conseguir te auxiliar em tudo.

O que é a infraestrutura como código?

Antes de falar profundamente sobre as ferramentas de infraestrutura como código é necessário fazer uma divisão. A ideia central é permitir que dividindo seja mais simples de conseguir que tudo possa funcionar da forma correta. Quando algo é ensinado de forma junta, existirá sempre o risco de não dar certo.

O principal é saber tudo sobre a infraestrutura como código e em seguida sobre as ferramentas que vão te auxiliar em tudo isso. A melhor coisa é conseguir entender de forma separada e na sequencia o entendimento fica melhor. Esse fato vai permitir que seja mais simples de conseguir absorver as informações.

Mostrado tudo isso, é preciso antes de citar as ferramentas de infraestrutura como código, falar um pouco mais sobre o conceito. É justamente isso que os próximos tópicos vão tratar e a realidade é que tudo ficará mais fácil. Os próximos tópicos vão te mostrar exatamente tudo o que você precisa saber.

O que é?

De maneira geral, trata-se de uma técnica que terá como objetivo tratar as configurações desse ambiente de maneira diferenciada. Fazendo com tudo o que for configurado no ambiente seja tratado como parte desse código.

A ideia é fazer com que seja mais simples de diminuir os erros e também minimizar a chance de existirem conflitos. Já que a relação entre os times de desenvolvimento e também a operação, ou seja, é preciso ter muito cuidado.

As ferramentas de infraestrutura como código vão entrar justamente para permitir que tudo isso seja possível. Podem ser entendidas dessa forma, porém para terem sucesso será preciso que o time caminhe na direção das mudanças.

Como era

Uma parte de todo o desenvolvimento ainda pode vir a ser feito tendo que acessar o servidor manualmente e fazendo as atualizações. Seja indo fisicamente ou mesmo via SSH, portanto, isso pouco vi importar no final de tudo.

A parte de fazer o desenvolvimento desse ambiente pode ter até um manual explicado nos mínimos detalhes, porém sempre vão existir alguns erros. Grande parte das pessoas podem errar e nem se darem conta que algo está errado.

A fragilidade do ambiente está contida justamente nesse fato e isso é algo bem perigoso, pois trará todo um retrabalho. Isso vai custar para a empresa dinheiro, recursos e o tempo dos seus colaboradores, portanto, é prejuízo quase certo.

Antes da utilização das ferramentas de infraestrutura como código, o resultado era sempre de retrabalho. Para as organizações isso afetava e a forma de minimizar era simples, ou seja, aumentando o preço daquela versão.

Como ficou

Existe que chegou a Era da Nuvem, onde as novas versões do sistema podem ser entregues todos os dias. Dessa forma, não existirá a interdependência de um ambiente que seja frágil e termine gerando todo um retrabalho para a equipe.

A principal vantagem é a possibilidade de conseguir criar ou mesmo recriar um ambiente quantas vezes forem necessárias. Não é possível dimensionar de maneira direta isso para as empresas, pois traz uma vantagem muito grande.

Um bom exemplo pode ser dado quando um sistema vir a necessitar de mais servidores em um cluster. Dessa forma, o trabalho manual de configuração das máquinas é um impeditivo, porém pode vir a ser feito automaticamente por isso. Tudo graças a utilização da infraestrutura como um código.

Um sistema como nuvem tem a capacidade de fazer toda a configuração pode fazer a administração. Isso quer dizer que é possível instalar mais um servidor e assim conseguir atender a demanda quando for grande ou estiver no pico.

É nisso que as ferramentas de infraestrutura como código entram e fazem aquilo, de fato, acontecer. A chave está contida em automatizar funções e principalmente fazer com que a equipe diminuía a chance de existirem erros.

Quais são os princípios?

Antes de tudo, as alterações não serão feitas diretamente no servidor, ou seja, são feitas no ambiente. Não importa se forem scripts ou qualquer outra coisa, porque tudo será feito fora e terminará criando versões desse sistema.

A evolução é constante, ou seja, permite que seja mais simples de conseguir aqueles objetivos que estão sendo almejados a tempos. Isso vai representar uma vantagem, porque não torna esse ambiente estático, ou seja, frágil.

A qualquer hora, partindo de definição de uma versão, um ambiente pode ser criado de forma automática do zero. E ainda por cima mantendo as mesmas características de alguns outros ambientes que possuam essa mesma versão.

O mais interessante é que fica mais simples de qualquer pessoa olhar aqueles arquivos de definição. A partir disso, ficará muito mais simples de fazer um analise dessas configurações desse ambiente em uma determinada versão.

É preciso citar que a criação e também destruição desses ambientes deve ser feita de forma frequente. O mais interessante é mostrar que isso vai funcionar permitindo que o ambiente esteja sempre consistente com essa configuração.

A questão seguinte estará ligada diretamente a um exercício que é constante de fazer com o que ambiente seja descartável. O objetivo por trás disso é simples, portanto, permite que o mesmo não seja visto com uma “fonte de verdade”.

Todos esses benefícios só serão possíveis se existirem testes regulares para analisar o sistema. As ferramentas de infraestrutura como código só terão o efeito devido se isso for considerado e principalmente vir a ser aplicado.

Benefícios

Sempre vão existir algumas vantagens que permitem que a utilização traga muitos benefícios para a empresa. O mais importante é conhecer quais são e nada melhor do que conferir tudo abaixo, portanto, veja a seguir:

  • A infraestrutura como código irá facilitar a implementação da integração continua e vai deixar a execução automática;
  • Vai escalar automaticamente a aplicação em cluster para atender toda a demanda que estiver em pico;
  • É possível de automatizar toda a recuperação em caso de falhas em um determinado ambiente. Uma vez que basta encontrar o problema e redirecionar os clientes para evitar isso;
  • Os ambientes conseguem ser replicados, ou seja, não existirá a chance de existir algum erro humano em cima disso.
  • Torna-se mais seguro, porque permite que as mudanças na configuração possam ser em versões e não definitivos.

Esses benefícios vão permitir que no final das contas tenha sido uma boa escolha atuar com infraestrutura em código. As vantagens serão responsáveis pela confirmação de decisão, porém tudo precisa ser pensado com muita calma.

Desvantagens

Infelizmente vão existir algumas desvantagens em cima de toda essa utilização, portanto, é preciso cuidado. Para facilitar o processo, confira abaixo alguns pontos que vão precisar serem considerados antes de decidir, veja a seguir:

  • O investimento será muito maior, porque ficar fazendo versões das configurações pode vir a dar um grande gasto. Para projetos de tamanho razoáveis ou grandes, esse custo valerá a pena devido ao custo ser baixo.
  • Mesmo utilizando a virtualização e todas as configurações, ainda vai existir um pouco de incerteza. Vale lembrar que um mesmo sistema pode vir a ter comportamentos diferenciados de acordo com o criador.

Essas duas desvantagens são pequenas se comparadas aos benefícios, porém precisam sempre que exista atenção nesse processo como um todo. A melhor coisa é procurar estar atento e tentar diminuir a chance, contrate um especialista.

O que são as ferramentas de infraestrutura como código: Ansible, puppet, vagrant?

As ferramentas de infraestrutura como código serão as responsáveis por auxiliar em todo o processo de fazer a implementação disso. Já que a automação é sempre um fator necessário e esse fato é vantajoso para as partes envolvidas. O mais importante é conseguir que isso venha a ser um diferencial para todos.

A Ansible, puppet e vagrant são as ferramentas de infraestrutura como código mais utilizadas. É adequado conhecer um pouco mais sobre como cada uma pode se comportar e também auxiliar aos envolvidos nisso. Para facilitar o entendimento, os três próximos tópicos vão tratar justamente desses assuntos.

Ansible

Trata-se de uma das ferramentas de infraestrutura como código mais simples, porque irá te permitir ter um melhor gerenciamento. Os ambientes mais complexos vão ser configurados sem maiores problemas referentes a isso.

Uma das vantagens está na curva de aprendizagem ser muito baixa, ou seja, a linguagem para escrever é simples. A YAML é bem amigável e a linguagem pode ser entendida pelos desenvolvedores, suporte e também os gerentes de TI.

Os concorrentes do Ansible vão necessitar que exista um agente instalado na sua máquina de destino, porém essa ferramenta não exige. A comunicação se dará através do SSH, ou seja, a troca de ações será entre ambas as máquinas.

Essa é uma das ferramentas de infraestrutura como código que vai permitir que a execução de tarefas seja em ordem. Será de acordo com as que foram escritas, ou seja, é algo organizado e que te fará economizar bastante tempo.

Os módulos vão ser garantidos por essa ferramenta e assim não vai executar ações que não provoquem ações. Se o mesmo for executado e tiver um bom resultado, não será necessário vir a ser executado novamente para tal fim.

O Ansible possui um repositório que é conhecido como Ansible Galaxy e é mais fácil de encontrar vários tipos de módulos. Será bem mais simples de conseguir encontrar algo que possa atender a sua necessidade, ou seja, economiza tempo.

Puppet

Não tem como falar das melhores ferramentas de infraestrutura como código e não citar o Puppet, pois é um dos mais comuns. Trata-se de uma ferramenta que permite fazer uma simulação e como isso viria a ocorrer dentro do sistema.

Outra vantagem importante do Puppet é que é mais simples de encontrar todas os conflitos e ainda de forma avançada. O sistema consegue fazer com que seja mais simples de encontrar quais são esses conflitos na configuração desejada.

Caso aconteça de dois desenvolvedores estarem escrevendo um mesmo código, o sistema não permite que um sobrescreva o outro. Isso vai garantir a todos muito mais automação e esse ponto vai ser mais interessante para todos.

O Puppet é a única entre todas as ferramentas de infraestrutura como código citadas aqui, que tem uma configuração não gerenciada. Uma vez que as configurações vão apresentar as inconsistências ou que não deve estarem lá.

A inteligência é integrada com as dependências das configurações e também vai lidar diretamente com as falhas. Se existir um erro, o Puppet vai terminar ignorando-o e continua gerenciando as demais configurações que não tenham relações com isso.

A capacidade de inspecionar a configuração existente em sistema e informar quais são as configurações atuais. A utilização dessas informações irá permitir que tudo fique mais fácil e que seja simples de analisa-las com perfeição.

Vagrant

Trata-se de uma das ferramentas de infraestrutura como código que possuem a capacidade de serem virtual box. Dessa forma, é mais fácil de adiantar o trabalho e assim será mais simples de conseguir todos esses pontos.

O mais interessante é que por meio do Vagrant fica mais simples de conseguir criar um servidor e aos poucos ir fazendo as mudanças. É uma das melhores coisas que podem acontecer, pois fará com seja fácil de economizar tempo.

A forma de linguagem do Vagrant não é tão complicada e permite uma vantagem importante, ou seja, economizar tempo. Os desenvolvedores mais novatos vão conseguir escrever e o pessoal do suporte ou gerencia poderão analisar.

É preciso citar que essa é entre todas as ferramentas de infraestrutura como código aquela que vem sendo menos utilizada. Só que isso não quer dizer que seja ruim, portanto, é possível atender essa necessidade com tranquilidade.